Banco de Leite Humano

Banco de Leite Humano Banco de Leite Humano -
Ordenha no Banco de Leite Ordenha no Banco de Leite - Frederick Borges/Governo do Tocantins
Kit enviados para as doadoras de leite humano do Banco de Leite Kit enviados para as doadoras de leite humano do Banco de Leite - Heitor Iglesias/Governo do Tocantins
 Ordenha - Banco de Leite Ordenha - Banco de Leite - Fotos Frederick Borges/Governo do Tocantins
Leite materno armazenado no Hospital Dona Regina Leite materno armazenado no Hospital Dona Regina - Heitor Iglesias/Governo do Tocantins

Tão antigo quanto a humanidade, o leite materno destaca-se como o primeiro alimento, indispensável no processo de imunização, formação e crescimento sadio de qualquer indivíduo. No Tocantins, o ato de amamentar é incentivado pelo Banco de Leite Humano, instalado em algumas unidades hospitalares, que promove, apoia e incentiva o aleitamento materno.

A primeira unidade foi instalada no Hospital e Maternidade Dona Regina Siqueira Campos, em 2002 e já recebeu por três vezes o Certificado Excelência em Bancos de Leite Humano, Categoria Ouro, resultado do desempenho do Banco de Leite no sistema de produção da Rede Brasileira de Banco de Leite Humano. A certificação leva em conta as informações sobre a estrutura física, equipamentos, qualificação profissional, produção entre outros itens.

O trabalho do Banco de Leite Humano começa com a sensibilização das mães que dão a luz na maternidade sobre a importância do aleitamento materno pelo menos nos seis primeiros meses de vida do bebê e continuado até dois anos ou mais. As mães com a produção de leite em excesso podem ligar no Banco de Leite para serem cadastradas como doadora. Em seguida, conforme agendamento, elas receberão a visita do Projeto Bombeiro Amigo do Peito, junto com a enfermeira, onde a mãe é orientada sobre como retirar o leite e armazenar e os cuidados a serem tomados para garantir a qualidade do leite ordenhado. Ela recebe um kit contendo frascos de coleta, touca descartável, máscara descartável e um folder com todas as orientações. A doadora tem 10 dias para encher o frasco. É só ligar no banco de leite que os bombeiros irão até a cada dela coletar.

O leite coletado é submetido a um processamento, envolvendo as etapas de seleção, classificação, pasteurização e controle microbiológico do leite humano. Esses procedimentos garantem a qualidade do leite para ser distribuído aos bebês internados nas unidades neonatais do hospital, conforme os critérios de prioridades. A principal conseqüência desse trabalho é a efetiva contribuição para a redução da mortalidade infantil.

Orientações para a mãe

1. Nos primeiros dias pós-parto a maioria das mães produzem uma quantidade de leite acima das necessidades do seu filho.

2. Sendo assim, após a mamada do seu bebê, retire o leite que sobrou no peito. Isso irá ajudar a manter a produção adequada e a evitar complicações no seu seio.

3. O leite em excesso poderá ser doado ao Banco de Leite Humano para ser processado e oferecido a bebês prematuros e doentes, internados no hospital.

4. Toda mãe que precise se ausentar de casa por motivo de trabalho, que tenha seu filho (prematuro ou doente) internado em hospital ou que precise se afastar de casa por algum outro motivo, deve aprender a retirar, conservar e armazenar seu leite.

5. Retirando o seu leite, a mãe mantém sua produção fazendo com que seu filho se alimente corretamente na sua ausência.

6. No trabalho ou em casa, é importante reservar um tempo para retirar o leite.

Como doar

Dentre os pré-requisitos indispensáveis para as mães doadoras, destacam-se não estar tomando medicamentos que impeçam a doação, não consumir drogas ou bebida alcoólica e não fumar mais de 10 cigarros por dia. O Hospital se encarrega de pegar o leite doado na residência das mães cadastradas, sempre que for necessário.

As interessadas podem solicitar a visita do Bombeiro Amigo do Peito através do telefone 0800 646 8283 ou 3218-7734.

Parcerias

O Corpo de Bombeiros foi um dos primeiros a aderir a causa da amamentação e da doação de leite humano, através de uma parceria com a Secretaria Estadual de Saúde onde foi criado o Projeto Bombeiro Amigo do Peito.

Outro parceiro importante é o Rotary Clube. Em 2004 a instituição doou um recurso que possibilitou a melhoria na estrutura física do banco de leite e está sempre ajudando para que a unidade mantenha o bom funcionamento. O Rotary também auxilia nas campanhas realizadas em diferentes épocas do ano.

Preocupação ambiental

As pessoas que não podem doar leite podem ajudar o Bando de Leite doando os frascos de vidro tipo maionese ou café solúvel. Esse trabalho mostra que o Banco de Leite também está preocupado com as questões de meio ambiente.. Devido às vantagens na limpeza, estoque e resfriamento, as embalagens precisam ser de vidro e com a tampa plástica rosqueável. Após chegarem ao banco de leite o material passa por um processo rigoroso de esterilização para só então ser reutilizado.

Durante todo o ano são realizadas campanhas junto a empresas privadas e órgãos públicos incentivando a doação desses frascos.  A entidade que desejar entrar nessa corrente e também ajudar o banco de leite doando frascos pode entrar em contato pelo telefone (63) 3218-7734.

Unidades e pontos de coletas do Banco de Leite

  • Centro de Referência para Bancos de Leite Humano do Tocantins – Hospital e Maternidade Dona Regina Siqueira Campos - Endereço: ACNE 1, Conj. 04, Lote 36/38, -Palmas – TO, Telefone: (063) 3218-7734. Unidade aberta 24 horas.

  • Posto de Coleta de Leite Humano na Unidade Básica de Saúde, na Quadra 403 Norte – Endereço: Quadra 403 Norte, Alameda 01, APN 40 – Palmas – TO, Telefone(63) 3218-5205.

  • Banco de Leite Humano – Hospital Dom Orione – Endereço: Rua Dom Orione, Nº 100 - Centro, Araguaína - TO, Telefone(63) 3411-8787 ramal 2358.

  • Banco de Leite Humano - Hospital Regional de Gurupi – Endereço: Rua Presidente Juscelino Kubitscheck, Nº 1541 – Setor Central - Gurupi – TO, Telefone(63) 3315-0258.

  • Posto de Coleta de Leite Humano Dona Marly - Hospital Materno Infantil Tia Dedé – Endereço: Rua Raquel de Carvalho, Nº 143, Jardim Brasília – Porto Nacional – TO, Telefone(63) 3363-8301.