Vigilância em Saúde de Populações Expostas a Contaminantes Químicos Prioritários - VIGIQUIM

DISK INTOX.1.png DISK INTOX.1.png -

A contaminação dos ambientes naturais, do solo, das águas superficiais e subterrâneas, do ar e dos alimentos por substâncias químicas representam diferentes riscos à saúde pública. A avaliação da exposição humana a contaminantes químicos presentes no ambiente é uma das competências desta vigilância.

Para viabilizar a implantação dessas Vigilâncias, foram selecionadas cinco substâncias prioritárias devido aos riscos à população:

Dentre estas substâncias, considerando os avanços na economia nacional relacionados ao agronegócio e os impactos causados na saúde e no meio ambiente pelo uso de novas tecnologias, como o uso cada vez mais crescente de agrotóxicos, foram propostas ações de Vigilância em Saúde de Populações Expostas a Agrotóxicos - VSPEA nos estados e municípios prioritários.

No Estado do Tocantins, o Plano Estadual de Vigilância em Saúde de Populações Expostas a Agrotóxicos, foi elaborado no ano de 2013 e vem como estratégia para o desenvolvimento das ações de vigilância visando adotar medidas de promoção da saúde, prevenção e atenção integral das populações expostas a agrotóxicos, conforme preconizado pelo Sistema Único de Saúde – SUS.

A exposição humana a agrotóxicos representa um importante problema de saúde pública, para o qual o setor saúde vem buscando definir e implementar ações voltadas para vigilância em saúde. As intervenções sobre o problema são, em alguns aspectos, reconhecidas como de difícil implantação por transcender o setor saúde, devido ao seu caráter interinstitucional.

Os agrotóxicos impactam a saúde humana, produzindo efeitos que variam conforme seu princípio ativo, a dose absorvida e a forma de exposição. As consequências descritas na literatura são diversas, englobando as alergias, os distúrbios gastrintestinais, respiratórios, endócrinos, reprodutivos e neurológicos; as neoplasias; as mortes acidentais e os suicídios. Os grupos mais vulneráveis a esses efeitos deletérios são os trabalhadores diretamente envolvidos com agrotóxicos, bem como as crianças, as grávidas, os lactentes, os idosos e os indivíduos com saúde debilitada.

Contatos para dúvidas, denúncias e sugestões pelos telefones: 3218-2734/7769 ou via eletrônica: vigipeq.to@gmail.com.