MENORES DE 15 ANOS

Nos pacientes menores de 15 anos suspeitos de hanseníase deverá ser aplicado o Protocolo Complementar de Investigação Diagnóstica de Casos de Hanseníase em Menores de 15 anos - PCID < 15, conforme Guia de Vigilância Epidemiológica do Ministério da Saúde e Diretrizes para vigilância, atenção e eliminação da hanseníase como problema de saúde pública.

Considerando a Estratégia Global para Hanseníase 2016 - 2020 da Organização Mundial da Saúde, que tem como objetivo reduzir a carga global e local da hanseníase. E um dos indicadores é atingir a meta de 0 (zero) crianças diagnosticadas com hanseníase com incapacidade grau 2.

A Assessoria da Hanseníase reapresentou nas Comissões Intergestores Regionais do mês de junho de 2018 o Protocolo Complementar de Investigação Diagnóstica de Casos de Hanseníase em Menores de 15 anos - PCID < 15, visando sensibilizar os gestores e profissionais de saúde quanto a necessidade do preenchimento adequado por parte dos profissionais médicos do referido protocolo, que deve ser encaminhado (cópia) para a Assessoria da Hanseníase em tempo oportuno (no 1º mês de tratamento).

Em caso de atribuição do Grau de Incapacidade Física 2 (dois) em menores de 15 anos, a criança deve ser encaminhada para reavaliação do grau de incapacidade física 2 (dois) para confirmação da incapacidade e analise quanto as necessidades de atenção integral e reabilitação. Confirmado o grau de incapacidade física 2 (dois), deve ser preenchido o Relatório da Investigação de Incidente Crítico - IIC. O relatório prevê-se que a investigação necessite de um trabalho interdisciplinar, com a colaboração de todos os envolvidos no processo de vigilância e atenção à criança; levantamento dos possíveis motivos para o diagnóstico tardio; descrição do vínculo epidemiológico do caso (histórico e contatos); confirmação da incapacidade; e tratamento instituído para a incapacidade. O relatório deverá conter anexos a cópia do PCID < 15 anos e o formulário de avaliação neurológica simplificada com as duas avaliações realizadas por profissionais diferentes.

Encaminhar o Relatório da Investigação de Incidente Crítico - IIC com a  Ficha de Avaliação Neurológica Simplificada para a Assessoria da Hanseníase em até 40 dias para reenvio ao Ministério da Saúde através da Coordenação Geral de Hanseníase e Doenças em Eliminação.

Para subsidiar o relatório a CGHDE-MS e Assessoria da Hanseníase/SES-TO orientam o uso do Guia para monitoramento e avaliação da estratégia global de hanseníase 2016-2020 da OMS através do Anexo 6 – Investigação de Incidente Crítico (IIC), pagina 83.

22/11/2018 - 12:35 h - Suen Oliveira Santos